Vice-Presidente do Sindaftema realça em entrevista as contribuições dos auditores fiscais para o fortalecimento do Maranhão.

As ações realizadas pelos auditores fiscais da receita estadual para o fortalecimento econômico e o desenvolvimento do Maranhão foram o tema do quadro “Auditor Fiscal, Me explica aí!” desta terça (22/08), na Rádio Mirante AM.

As atividades foram pontuadas pelo vice-presidente do Sindaftema, Saulo Longo, durante bate-papo que aconteceu pela manhã com o radialista Jorge Aragão, no programa Ponto Final.

Durante a entrevista, o dirigente sindical falou sobre os índices de arrecadação no estado, a implementação de projetos na receita estadual para o aprimoramento da fiscalização e como os auditores fiscais tem se preparado para fortalecer o combate à corrupção e sonegação fiscal em todo o território maranhense.

Segundo Saulo, atualmente a Secretaria de Estado da Fazenda conta com aproximadamente 250 auditores fiscais na ativa em um estado que possui grande extensão territorial, o que dificulta um pouco o trabalho de fiscalização principalmente por ser fronteira com outros estados, mas ainda assim, a categoria tem mostrado sua eficiência com a ajuda dos sistemas de automatização.

O Maranhão foi o terceiro Estado que mais aumentou a arrecadação de 2021 para 2022. A receita subiu de R$ 11,7 bilhões para R$ 12,8 bilhões em um ano, ou seja, um aumento de 8,7%. Sob a atuação da categoria, no mês de julho de 2023, o Maranhão arrecadou o montante de R$ 1.135.386.97, garantido a posição do Estado entre os melhores indicadores econômicos do Nordeste.

Atuando como um analista de dados, o auditor fiscal da receita estadual está em constante capacitação para aprimorar o combate a crimes fiscais, âmbito que foi bastante enaltecido pelo vice-presidente do Sindaftema. O investimento em qualificação, aliado à alta qualidade técnica que a categoria possui tem proporcionado o surgimento de vários projetos dentro da Secretaria da Fazenda, o que vem despertando o interesse de outros estados da federação nessas tecnologias produzidas pelos auditores.

Como exemplos, foram destacados alguns projetos como o “Vistoria Mobile”, liderado pelo Auditor Fiscal, Pedro Pagot, cujo objetivo é modernizar as atividades de vistorias de estabelecimentos no Maranhão; o Sistema de fiscalização do agronegócio que utiliza imagens de satélite e inteligência artificial, criado pelo Auditor Gustavo Victorio; o Sistema de Videomonitoramento de transporte de mercadorias no estado, através do registro de passagem automática pela leitura das placas dos veículos, e o SMART – Sistema de Mensuração Automatizada e Recuperação de Tributos, desenvolvido pelo Auditor Alisson Mendonça, que amplia o controle das ações de fiscalização em tempo real e fortalece a inteligência computacional contra fraudes e sonegação fiscal. Tais projetos, inclusive, já foram apresentados a outros fiscos estaduais.

Saulo também ressaltou as ações conjuntas dos auditores fiscais com outros órgãos como a Procuradoria Geral do Estado e o Ministério Público, as quais a categoria tem dado todo o suporte nas operações de combate às fraudes.

Ao final do bate-papo, o vice-presidente do Sindaftema reafirmou a necessidade de valorização salarial da categoria para que o Estado não perca mais profissionais a outros fiscos, como tem acontecido nos últimos anos. “Não faz nenhum sentido o Maranhão ser um centro de treinamento para exportar auditor fiscal treinado para outras Secretarias da Fazenda. Essa é infelizmente uma realidade que está ocorrendo, já perdemos muitos servidores extremamente capacitados e temos trabalhado para sensibilizar o governo a mudar esse panorama.”

 

Ascom / Sindaftema.

Posts Relacionados